Blog da Wanessa Costa: Acho que exagerei e agora?

Acho que exagerei e agora?

Quem nunca? 

Quem nunca comeu ou bebeu mais do que deveria e depois sofreu com as consequências? Todo mundo vez ou outra já sofreu com um pós-ressaca ou com uma intoxicação alimentar ou uma retenção de líquidos. Esses são os principais problemas pós exagero e ocorre principalmente nas festas de final de ano.


Mais se você está sofrendo um desses problemas e quer ficar livre deles leia esse post que está recheado de dicas para te ajudar a se livrar desse mal estar.





Livre-se da ressaca 

A hidratação é essencial para quem quer manter o corpo saudável durante o período de confraternizações, festas e ceias mais frequentes entre o Natal e o Réveillon. Os excessos de comidas, doces e bebidas alcoólicas característicos desses eventos podem ser entendidos pelo organismo como um estresse, provocando mal estar, dores de cabeças e as famosas ressacas. 

Para eliminar as substâncias tóxicas do corpo e neutralizar a agressão alimentar, a dica principal da nutricionista Tanara Ferreira é aumentar o consumo de água e de antioxidantes, como as frutas, as verduras, as sementes e as castanhas.

A quantidade de água que cada indivíduo precisa ingerir diariamente pode ser definida, de acordo com a nutricionista, em uma equação simples: basta multiplicar o peso corporal (kg) por 35 (ml).

A desintoxicação é um processo natural do organismo que pode ser potencializado com o corte de alimentos industrializados do cardápio e a inclusão dos sucos verdes, que vêm ganhando popularidade nos últimos anos.”Compostos por frutas e verduras eles [os sucos detox ] são ricos em vitaminas, minerais, fibras e possuem propriedades funcionais, como antioxidante, anti-inflamatória, digestiva e diurética”, explica Tanara Ferreira.

O que comer para evitar ressaca alcoólica:
Dicas da nutricionista: Uma refeição nutritiva antes de beber é outro cuidado essencial. Para fazer combinações adequadas basta escolher uma fonte de proteína (carne, frango ou peixe) com vegetais (legumes, verduras, tubérculos), para saber as quantidades mais adequadas para você o ideal é buscar orientação profissional.

Algumas sugestões: Peito de frango com legumes variados (podem ser ao forno ou refogados no óleo de coco); Peixe grelhado com purê de batata doce ou macaxeira e salada crua; carne assada com abóbora ao forno.

Depois da ‘farra alcoólica’

Dicas da nutricionista: O álcool gera um estresse para o organismo, então, aumentar o consumo de antioxidantes através da alimentação é uma forma de neutralizar esse estresse. Diversos alimentos possuem ação antioxidante, como frutas, verduras, sementes e castanhas. 

O consumo de bebidas isotônicas ajudam a repor eletrólitos que são perdidos durante as festas por meio da urina ou mesmo pelo suor. Alguns chás são hepatoprotetores, que favorecem a proteção do fígado, após episódios como esses. Caldos como a canja também são uma forma de ofertar nutrientes para o organismo.




Retenção de líquidos

Os alimentos que vão auxiliar na eliminação da retenção de líquidos são: frutas, chás (hibisco, cavalinha, chá verde – os chás em geral apresentam restrições para algumas pessoas, então, buscar uma indicação individual de um profissional é mais adequado), saladas cruas e legumes. Evitar alimentos industrializados, embutidos, enlatados, assim como não consumir carboidratos em excesso (pães, massas, pizzas, etc.).

Faça da água a sua melhor amiga

Não adianta, a água continua sendo a inimiga número 1 da retenção de líquido! Só ela é capaz de proteger da desidratação e regular a temperatura do corpo ao longo do dia, combatendo o tal efeito rebote que faz as pernas, braços, bumbum e até o rosto incharem. Os especialistas indicam que se beba 2 litros de água por dia, mas é possível fazer um cálculo individual: "O ideal é beber 35 ml de água para cada quilo. Então, se a pessoa pesa 60kg, deve beber 2,1 litro de água por dia", explica a nutricionista Marcela Frias, da Clínica Dicorp, do Rio de Janeiro. Sucos e água de coco estão liberados, mas é importante prestar atenção à quantidade de calorias.

Fuja dos diuréticos

Não se iluda com os diuréticos, medicamentos que  aumentam o volume e o grau do fluxo urinário. Eles podem até ajudar no desinchaço, mas dão a falsa informação ao corpo de que o rim não está funcionando corretamente. "Esse tipo de remédio deve ser usado apenas sob prescrição médica", explica Marcela.

Resista aos refrigerantes (inclusive os zero)

Os refrigerantes bem gelados viram praticamente salva-vidas quando o calor aperta e é preciso dar uma refrescada imediata. Mas é preciso ter limite: "o sódio desse tipo de bebida, incluindo as versões "zero", contribuem para o aumento da retenção de líquido. Por isso, o melhor é evitar", afirma Marcela. 



Intoxicação alimentar  

Uma intoxicação alimentar é causada pela ingestão de apenas um ou vários alimentos contaminados com microrganismos, originando sintomas como mal-estar, vômitos, enjoos e diarreia.

No caso de crianças, idosos ou grávidas, perante a presença de vômitos e diarreia é recomendado consultar o médico ou ir imediatamente ao pronto-socorro, pois estes grupos têm maiores chances de ficarem desidratados mais rapidamente.
Em outros casos, o que se deve fazer em caso de intoxicação alimentar inclui:

Tomar 1 cápsula de carvão vegetal 2 vezes por dia

No primeiro dia em que surgirem vômitos e diarreia, o indivíduo deve tomar 1 cápsula de carvão vegetal 2 vezes nesse dia, pois o carvão vegetal impede que a mucosa do estômago e do intestino absorvam os microrganismos presentes nos alimentos contaminados, ajudando a reduzir os sintomas.

Beber muitos líquido

É importante beber muitos líquidos, como água, chás, sucos de frutas naturais, água de coco, sais de reidratação oral que se compram na farmácia ou bebidas isotônicas, como a Gatorade, por exemplo, para repor os líquidos perdidos pelos vômitos e diarreia, acelerar a recuperação e evitar a desidratação.
Veja ótimas opções caseiras para ajudar a repor os líquidos perdidos e aliviar os sintomas em: Remédio caseiro para intoxicação alimentar.

Repousar

O repouso é fundamental para ajudar a tratar a intoxicação alimentar, pois o organismo necessita de poupar energia devido à perda de líquidos pelos vômitos e diarreia, ajudando também a prevenir a desidratação.

 Fazer uma alimentação leve

Assim que os vômitos e a diarreia estiverem diminuindo ou passando, deve-se fazer uma alimentação leve, começando por comer uma canja de galinha, purê de batata, creme de legumes ou peixe cozido, de acordo com a tolerância.

Além disso, é importante evitar alimentos gordurosos e condimentados, optando por frutas, legumes, verduras, carnes magras e peixe sempre cozidos. Saiba mais sobre o que comer para tratar a intoxicação alimentar.

Geralmente, a intoxicação alimentar passa em cerca de 2 a 3 dias apenas com estas medidas, não sendo necessário tomar nenhum remédio específico. No entanto, caso os sintomas persistam ou piorem, é importante consultar o médico.




Nenhum comentário:

Postar um comentário